domingo, 17 de fevereiro de 2013

Receita de mãe: será que todo mundo precisa ser igual?


Olá, pessoal. Hoje eu incorporo aquele ditado que diz que ‘o bom filho à casa torna’ e, após uma breve parada para as férias, retomo a minha rotina de postagens dominicais. O tema que eu escolhi para trabalhar aqui hoje me levou a uma reflexão profunda que eu, agora, divido com vocês:

Por que todo mundo precisa obedecer a um padrão de beleza, tido como socialmente aceitável e desejado? Mais do que aderir a modismos, vivemos num mundo cada vez mais igual e, apesar de já termos passado por tantas mudanças de comportamento desde a Revolução Industrial, algumas coisas não mudam. Pelo contrário, só pioram. É um paradoxo: lutamos contra o preconceito, alteramos comportamentos e quebramos paradigmas. Mas continuamos ‘olhando torto’ para quem é diferente. E o pior: mesmo sem perceber, ensinamos nossas crianças a fazer o mesmo.

Abaixo à ditadura dos lisos: a beleza está nas diferenças

Hoje em dia, cada vez mais cedo, toda criança quer ter uma iPad, um celular, andar de salto e se maquiar (no caso das meninas) e ter cabelo liso. Por falar em cabelo, recentemente, uma maternidade brasileira publicou em seu site a pergunta de uma senhora, que dizia ser mãe de uma menininha de quatro anos, com cabelos ‘muito crespos’. A moça questionava à equipe do hospital a partir de que idade poderia começar a submeter a filha a tratamentos estéticos para alisar o cabelo. Pronto. Não sei se a pergunta era, de fato, verdadeira ou fictícia, mas não importa. Para mim, já estava feito o estrago. Aliás, uma pergunta como essa é o próprio ‘estrago’. Um retrato da distorção dos nossos valores atuais.

A maternidade se desculpou e tirou a pergunta do ar. Antes disso, porém, o assunto – já vestido de polêmica – já tinha se espalhado pelas redes sociais e insuflado a ‘revolta’ de muita gente. Sério, na boa pessoal: talvez nenhum dos envolvidos nessa história (a mãe que fez a pergunta e o hospital que publicou a questão) tenha agido de má fé. Mas, ainda assim, para quê alisar o cabelo de uma criança de quatro anos? O que essa mãe quer com isso? A quem e ao que ela precisa atender? E como será que essa criança se vê? Como será que ela se sente já, aos quatros anos, sendo cobrada a atender um padrão de beleza que só aceita cabelos lisos?


Merida: uma princesa fora dos padrões, criada pela Disney


Como mãe de uma menina que, coincidentemente, é dona de uma cabeleira totalmente cacheada, eu já precisei encarar (e ainda encaro) os questionamentos dela, no desejo de ter um cabelo grande, liso e ‘de princesa’. Não estou aqui querendo dizer que é fácil conviver com bonecas, personagens e princesas, quase todas de cabelo liso. Mas é possível trabalhar essa questão com tranquilidade, mostrando à nossa criança que ser diferente é legal, que aceitar isso é natural e que a beleza da vida está, justamente, na diversidade.
Vamos deixar de tanta 'nóia', minha gente. 

Sugestão de leitura para pais e filhos

Se queremos crianças seguras, felizes e maduras no tempo certo, sejamos nós, pais, também seguros e confiantes no modelo de educação que entendemos ser o mais adequado para os nossos filhos. Sem tanto modismo, driblando as pressões e mostrando a eles, todos os dias, que ser ‘diferente’ é normal.

2 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget